Hipertensão Arterial Sistêmica

Dr.Sandro Ceratti
Prof. Dra. Marina de Góes Salvetti

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), conhecida como “pressão alta”, é uma doença caracterizada por pressão arterial maior ou igual a 140×90 mmHg. No Brasil 32,5% dos adultos, 60% dos idosos e 11,7% dos adolescentes apresentam HAS e esta condição é responsável direta ou indiretamente por 50% das mortes por doença cardiovascular, a primeira causa de morte no país.

Os fatores de risco para a HAS são: aumento da idade, sexo
feminino, raça negra, obesidade, consumo excessivo de sal, consumo crônico e
elevado de bebidas alcoólicas, sedentarismo e baixa escolaridade, além de
fatores genéticos. As medidas de prevenção da doença envolvem diagnóstico
precoce, tratamento contínuo, mudanças no estilo de vida, controle dos fatores
de risco modificáveis e controle da pressão arterial. A escolaridade é um fator
de proteção contra a doença, pois a educação contribui para comportamentos mais
saudáveis, atitudes de proteção e recuperação da saúde.  

                A
presença de hipertensão arterial pode trazer sérias complicações à saúde e pode
causar morte súbita, acidente vascular encefálico (popularmente conhecido como
“derrame”), infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca, doença arterial
e doença renal.

O diagnóstico é clínico e o tratamento envolve medicamentos
e outras medidas como controle do peso, por meio de um plano alimentar saudável
e prática de atividade física/exercícios.

O plano alimentar deve enfatizar o consumo de frutas,
hortaliças e laticínios com baixo teor de gordura. Cereais integrais, frango,
peixe e frutas oleaginosas também são recomendados. Já carne vermelha, doces e
bebidas com açúcar devem ser reduzidos.

Quanto aos exercícios recomenda-se pelo menos 30 minutos/dia
de atividade física moderada, de 5 a 7 dias por semana, de preferência
associando exercícios aeróbicos (ex. andar, correr, nadar, dançar) a exercícios
resistidos (ex. musculação).

A cessação do tabagismo também é recomendada para reduzir o
risco de doenças cardiovasculares, embora não reduza diretamente a pressão
arterial. Respiração lenta e técnicas de controle do estresse (ex. meditação,
psicoterapia comportamental e relaxamento) também podem auxiliar no controle da
pressão arterial.

As pessoas que têm HAS e diabetes têm risco dobrado para
doenças cardiovasculares. O acidente vascular encefálico é a manifestação mais
comum da lesão vascular causada pela HAS. A doença renal também pode ser uma
consequência dos danos vasculares provocados pela hipertensão arterial, podendo
levar à necessidade de hemodiálise.

Assim, é importante conhecer os fatores de risco para a
hipertensão arterial e adotar um estilo de vida saudável, com a prática de
exercícios físicos regulares, dieta saudável, controle do peso e redução do
estresse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *